Sua Organização tem ISNI e Ringgold ID? Identificação Digital e seus desafios

SIBiUSP 2017

À medida que os sistemas digitais de descoberta e distribuição de conteúdo crescem, aumenta também a necessidade de uma identificação inequívoca das pessoas e das partes interessadas (stakeholders) que trocam informações e conteúdos. Na cadeia de suprimentos de informações, incluindo a cadeia de publicações científicas, identificar corretamente pessoas, documentos e organizações tem sido um dos maiores desafios. 

Há uma crescente conscientização sobre a necessidade de utilizar identificadores únicos para troca de informações acadêmicas e científicas. O uso de identificadores comerciais para recursos como livros (International Standard Book Number – ISBN) e revistas (International Standard Serial Number – ISSN) há muito tempo se tornaram padrão e têm sido eficientes em gerenciar com sucesso a cadeia de suprimentos de materiais publicados. O Digital Object Identifier (DOI) é hoje o identificador digital de documentos mundialmente aceito. Pesquisadores utilizam identificadores digitais como ORCiD, ResearcherID, Scopus Author ID, Google ID e Lattes ID (Brasil). 

Do ponto de vista das Organizações, o imperativo de padronização e inequívoca identificação também é consenso e o International Standard Name Identifier (ISNI) é o padrão global certificado pela ISO 27729 para identificar organizações e indivíduos envolvidos com a cadeia de suprimentos de informação e mídia, bem como na cadeia de suprimentos científicos e acadêmicos (scholarly supply chain).

Cadeia de suprimentos de informação. Fonte: Ringgold

Identificar Organizações não é tarefa fácil. Elas mudam de nome, de local, fundem-se a outras, separam-se, mantêm vínculos diversos com organizações maiores, menores ou associam-se em consórcios. Podem estar escritas por extenso, abreviadas, na forma de siglas. Segundo o Relatório da OCLC intitulado Addressing the Challenges with Organizational Identifiers and ISNI de 2016 [1], estabelecer uma identificação única e persistente para as Organizações é fundamental para:

  • atribuir corretamente a produção científica e acadêmica à organização, instituição de pesquisa, universidade e seus pesquisadores,
  • desambiguar o nome de organização em relação a outra com nome igual ou semelhante,
  • facilitar a troca de conjuntos de dados via máquina – API, essencial para viabilizar o linked data,
  • permitir análises bibliométricas mais consistentes,
  • obter dados mais limpos e confiáveis sobre a organização e suas atividades, evitando a fragmentação de dados e resultados,
  • nortear padrões de afiliação, identificação e denominação organizacional (Nome ‘certo’) – controle de autoridade,
  • rastrear e facilitar concessões de recursos de pesquisa e bolsas,
  • descobrir colaborações em escala mundial,
  • desambiguar pesquisadores com mesmo nome, a partir da afiliação,
  • facilitar o rastreamento de publicações e citações por rankings e instituições de apoio à pesquisa,
  • facilitar a descoberta e a recuperação de informações sobre a organização pelos mecanismos de busca da Internet,
  • minimizar conflitos de interesse por meio de exata identificação de indivíduos e suas afiliações,
  • garantir a correta atribuição de artigos e trabalhos aos autores e pesquisadores corretos,
  • permitir a realização de levantamentos gerais e levantamentos detalhados das atividades da organização, etc.

O ISNI é um identificador de código aberto composto por 16 dígitos amplamente utilizado em vários setores e projetado para funcionar em diversos contextos, facilitando a troca digital de informações, dados e ativos. A Agência Internacional ISNI (ISNI-IA) contém registros de identidade associados a cerca de 8.75 milhões de nomes individuais e a mais de 654.000 organizações envolvidas nas indústrias de mídia, informação e áreas relacionadas.

Sistema de Pesquisa e o ISNI

A ISNI-IA usa um sistema de atribuição que compreende uma interface de usuário, esquema de dados, algoritmos de desambiguação e banco de dados que atende aos requisitos do padrão ISO, além de usar a tecnologia existente sempre que possível. O sistema baseia-se principalmente no serviço Virtual International Authority File (VIAF), que foi desenvolvido pela Online Computer Library Center (OCLC) para uso na agregação de catálogos de bibliotecas. Qualquer sistema de identificação de organizações deve basear-se em governança, confiança, transparência, temporalidade e metadados apropriados [2]. O registro ISNI é regido pelo Conselho da ISNI-IA e administrado pela OCLC, em conjunto com a British Library, entre outros membros.

Governança da ISNI-IA

O acesso ao sistema de atribuição e ao banco de dados, bem como aos números que são gerados como o resultado do processo, são controlados por organismos independentes, conhecidos como “agências de registro”. Essas agências de registro são nomeadas pela ISNI-IA e lidam diretamente com os clientes, garantindo que os dados sejam fornecidos em formatos apropriados e recompensando o ISNI-IA pelo custo de manter o sistema de atribuição.  

Sua Organização já tem ISNI?

Quer saber se a sua organização já tem um ISNI? A ISNI alavancou o trabalho de seus contribuintes de dados, como bibliotecas e bancos de dados comerciais que identificam exclusivamente organizações em recursos de informação. Caso livros ou artigos tenham sido escritos por ou sobre uma organização, é provável que a organização já tenha um ISNI. O banco de dados ISNI já atribuiu ISNIs para mais de 500.000 organizações. Para verificar, acesse isni.org/search e procure sua organização.

Para lidar com a enorme massa de dados de identificação de indivíduos e organizações, a Agência Internacional do ISNI atribui a responsabilidade principalmente a duas agências de registro: ORCID (Open Researcher and Contributor ID) para identificação de autores e Ringgold (para identificação de organizações e atores da cadeia de suprimentos de informação).

O que é Ringgold ID?

Desde 2003, a Ringgold vem desenvolvendo um arquivo de autoridade com curadoria de mais de 475.000 instituições que abrangem vários setores da indústria da informação. Cada entrada institucional recebeu seu próprio Ringgold ID exclusivo e persistente, que é mapeado para a hierarquia organizacional, incluindo metadados profundos de classificação.

A Ringgold (www.ringgold.com) criou um processo para a identificação de instituições e de relações entre organizações, baseado em dados limpos e metadados estruturados, o que viabilizou o desenvolvimento de inteligência de negócios (business intelligence), melhorando a tomada de decisões. Os serviços da Ringgold se enquadram em duas categorias principais: obras científicas e informações organizacionais, congregando Editores, Associações, Intermediários, Provedores de serviços de publicação, Agregadores, Agências de fomento e Instituições de Pesquisa.

Elementos de Identificação Ringgold

Qual é a relação entre ORCiD, Ringgold e ISNI?

ORCID e ISNI são organizações separadas que abordam diferentes aspectos da identificação inequívoca de pessoas e organizações. O contexto e os objetivos de cada entidade são distintos. A ORCID foi estabelecida para resolver o problema da atribuição precisa de resultados da pesquisa acadêmica para pesquisadores individuais. O sistema ORCiD é baseado em colaboração entre editores, universidades, órgãos de financiamento, pesquisadores e outras partes interessadas em comunicações acadêmicas. A ORCID está empenhada em ser interoperável com outros esquemas de identificadores, incluindo o identificador ISNI. Para este fim, a ORCID e a ISNI estão coordenando esforços, trabalhando juntas para viabilizar oportunidades adicionais de colaboração.

ORCiD e Ringgold

Representando a Agência Internacional do ISNI e seus membros, a Ringgold é a Autoridade de Registro para Organizações e mantém metadados detalhados das organizações, atendendo à proposta da Agência Internacional do ISNI de criar um sistema onde cada autoridade de registro suporta um modelo de negócios com base nos dados que eles curaram.

Hoje, ORCID e Ringgold mantém protocolo de colaboração. A ORCID usa o banco de dados de identificação da Ringgold como um arquivo de autoridade das organizações para a aplicação de afiliações.do pesquisador com relação à instituição de formação e vínculo empregatício. Ou seja, o Ringgold ID é utilizado na padronização de nomes de instituições para indicar afiliações (emprego e formação) por meio de uma lista dos nomes das organizações, universidades, faculdades e departamentos.

Ainda que o foco esteja nos identificadores, não há como prescindir da normalização dos nomes das organizações e instituições, inclusive para viabilizar a validação de dados e troca de ativos. A pesquisa na Base de Dados da Ringgold revela que a maior parte das Unidades, Institutos e Museus da Universidade de São Paulo – USP já possuem ID ISNI e Ringgold ID, o que prenuncia uma facilidade maior de inequívoca identificação, troca digital de dados e ativos.

A utilização do número de identificação ISNI e Ringgold ID é feita majoritariamente via máquina, para troca de dados por API – ( exemplo: troca de dados entre editoras e repositórios ) e para o linked data – dados vinculados que permitem, inclusive, a existência de sistemas de descoberta como o Busca Integrada (PRIMO).

Para nós, bibliotecários e cientistas da informação, padronizar o nome público da instituição facilita o controle de autoridades, melhorando a qualidade dos dados na busca e recuperação da informação.

A Universidade de São Paulo e a Identificação de Unidades, Institutos, Centros, Museus e o SIBiUSP

Detalhamento de elementos de identificação da Universidade de Sao Paulo na Ringgold

Ringgold ISNI Nome USP Dez 2017 Nome certo nome oficial e metadados associados

Referências

[1] SMITH-YOSHIMURA, K. et al. Addressing the Challenges with Organizational Identifiers and ISNI. Dublin, Ohio: OCLC Research. Disponível em: < http://www.oclc.org/content/dam/research/publications/2016/oclcresearch-organizational-identifiers-and-isni-2016-a4.pdf > Acesso em: 7 Dez. 2017.

[2] HAMMOND, M. ; CURTIS, G. Landscape Study for CASRAI-UK Organizational ID. Surrey: Curtis e Cartwirght, 2013. Disponível em: <http://repository.jisc.ac.uk/5381/1/CC549D001-1.0_org_ID_landscape_study.pdf>  Acesso em: 06 Dez. 2017.

 

Notas Adicionais

Em abril de 2013, a Organização Nacional de Normas de Informação (NISO) anunciou a publicação de uma nova Prática Recomendada: Identificação Institucional: Identificando Organizações na Cadeia de Abastecimento de Informações – The Institutional Identification: Identifying Organizations in the Information Supply Chain Recommended Practice is available for free download from the NISO I² workroom webpage: www.niso.org/workrooms/i2.. Esta Prática Recomendada descreve o trabalho realizado pelo Grupo de Trabalho NISO para Identificação Institucional na definição dos requisitos para a criação de um identificador padrão para organizações inseridas na cadeia de suprimentos de informação. Instituiu-se também a colaboração entre o Grupo de Trabalho NISO e a Agência Internacional ISNI (International Standard Name Identifier) ​​para utilização do padrão ISNI (ISO 27729) e infra-estrutura da ISNI International Authority (ISNI-IA) para identificação organizacional, visando integrar os atores da cadeia.

A NISO promove o desenvolvimento e manutenção de padrões que facilitam a criação, gerenciamento persistente e intercâmbio efetivo de informações para que possa ser confiável para uso em pesquisa e aprendizado. Para cumprir esta missão, a NISO envolve bibliotecas, editores, agregadores de informações e outras organizações que apoiem aprendizado, pesquisa e bolsa de estudos através da criação, organização, gerenciamento e criação de conhecimento. A NISO trabalha com intersecção de comunidades de interesse e em todo o ciclo de vida de um padrão de informação. NISO é uma associação sem fins lucrativos credenciada pela American National Standards Institute (ANSI). A NISO tradicionalmente desempenhou um papel na promulgação de identificadores comumente usados ​​na biblioteca e nas comunidades de publicação, trabalhando tanto a nível nacional como internacional. Existem outros identificadores institucionais para algumas das transações (por exemplo, SAN, IPEDS, GLN, MARC Org Code, ISIL) e pode ser necessário examinar a relação desses identificadores com o trabalho deste identificador institucional. Mais informações sobre a NISO estão disponíveis em seu site: www.niso.org.

Como citar este post [ABNT/NBR 6023/2002]:

SIBiUSP. Sua Organização tem ISNI e Ringgold ID? Identificação Digital e seus desafios. 2017. Disponível em: <http://www.sibi.usp.br/?p=17073> Acesso em: DD mês. AAAA.

This article was published on