Competências do Bibliotecário na Gestão de Dados de Pesquisa, Comunicação Científica e Acesso Aberto

SIBiUSP 2016

Por Elisabeth Dudziak

O desenvolvimento de competências do bibliotecário é um tema sempre presente tanto na literatura científica, quanto nas práticas profissionais. Falar em competência significa pensar na mobilização de um conjunto integrado de conhecimentos, capacidades, atitudes e recursos para realizar uma ação. 

Uma Força Tarefa ligada à Confederação de Repositórios de Acesso Aberto (COAR) está desenvolvendo estudos sobre as Competências do Bibliotecário no Apoio à Pesquisa e à Comunicação Científica. O grupo de especialistas definiu as competências requeridas de acordo com dois perfis de atuação: gestão de dados de pesquisa [1] e comunicação científica em acesso aberto [2]. 

A gestão de dados de pesquisa (em inglês Research Data Management – RDM) envolve serviços, ferramentas e infra-estruturas que envolvem o ciclo de vida da pesquisa como um todo. Os vários aspectos da RDM são frequentemente distribuídos em diferentes serviços de apoio e departamentos acadêmicos (por exemplo Escritórios de Pesquisa, Serviços de TI e Bibliotecas). Os pesquisadores necessitam de apoio no planejamento, organização, segurança, documentação e partilha, preparação dos conjuntos de dados para depósito e preservação, bem como nas questões relacionadas a direitos autorais, licenciamento e propriedade intelectual. Nesse sentido, o papel das bibliotecas e dos bibliotecários envolve a identificação e localização de dados, apoio às condições de acesso e reutilização de dados, suporte à citação e referenciação, até a correta organização e preservação. Efetivamente, muitas bibliotecas (e bibliotecários) já realizam a gestão de dados de pesquisa.

UCL_Research_Data
University College London – Planning ahead Research Data Management

As bibliotecas da Universidade de Stanford (EUA) [3] prestam serviços de organização, gestão e conservação dos dados de pesquisa com vistas à preservação e acesso à produção científica da instituição. As bibliotecas do MIT (EUA) [4] também fornecem suporte às atividades de pesquisa por meio da gestão de dados. A Biblioteca da University College London (Reino Unido) [4] mantém serviço de apoio à gestão de dados de pesquisa. 

Competências do Bibliotecário gestor de dados de pesquisa

A gestão de dados de pesquisa requer minimamente uma compreensão básica do assunto e/ou área de conhecimento da pesquisa, bem como normas e padrões utilizados. Outras competências essenciais são as seguintes:

1. Fornecimento do acesso a dados
Conhecimento de:
– Centros de dados existentes, repositórios de dados e coleções, e mecanismos de descoberta
– Técnicas e ferramentas de manipulação de dados e análise
Compreensão de:
– Como os dados são estruturados e organizados dentro de coleções
– Questões ligadas ao licenciamento de dados e propriedade intelectual

2. Defesa e apoio à gestão de dados
Conhecimento de:
– Políticas e exigências dos financiadores
– Centros de dados, repositórios e coleções
– Melhores práticas para estruturas de dados, tipos, formatos, vocabulários, ontologias e metadados
– Onde encontrar informações sobre estruturas de dados, tipos, formatos, vocabulários, ontologias e metadados
– Planos de gestão de dados e ferramentas de Data Management Plans (DMP)
– Requisitos das revistas para a publicação de dados
– Opções de compartilhamento de dados, de acesso aberto, direitos de propriedade intelectual, licenças
– Citação de dados e práticas de referenciação
Compreensão de:
– Práticas de pesquisa e fluxos de trabalho
– Normas e padrões de gerenciamento de dados por área de conhecimento e/ou disciplina
Capacidade de:
– Articular benefícios de partilha de dados e reutilização
– Realizar auditoria de dados e utilizar ferramentas de avaliação

3. Gestão de Coleções de Dados
Conhecimento de:
– Padrões de metadados e esquemas, formatos de dados, ontologias de domínio, identificadores de dados, citação e licenciamento de dados.
– Ferramentas de descoberta
– Tipos de design de banco de dados e estruturas
– Ligação de dados e técnicas de integração
– Plataformas de repositórios de dados e armazenamento
Capacidade de:
– Selecionar e avaliar conjuntos de dados
– Gerenciar ativamente dados de pesquisa
– Realizar atividades de preservação digital
– Aplicar procedimentos forenses à curadoria digital

Com relação à comunicação científica e o acesso aberto, a Associação de Bibliotecas de Pesquisa (em inglês Association of Research Libraries – ARL [6] descreve a comunicação científica como “o sistema através do qual a pesquisa e outros escritos acadêmicos são criados, avaliados quanto à qualidade, disseminados na comunidade acadêmica e preservados para uso futuro. O sistema inclui tanto os meios formais de comunicação (com publicação em revistas revisadas por pares) quanto os canais informais (listas de discussão online, mensagens em mídias sociais: blogs, tweets, etc.).”

Como em outros aspectos da pesquisa, as novas tecnologias estão transformando a forma como a pesquisa é disseminada. O sistema tradicional no qual os resultados da pesquisa são publicados em revistas acadêmicas ainda prevalece, em grande parte devido à adoção e uso contínuo do fator de impacto e prestígio da revista como medidas de qualidade. No entanto, há diversas iniciativas e projetos que estão desafiando os modelos tradicionais de comunicação científica, impulsionados por novas tecnologias, políticas e uma noção mais ampla de como a pesquisa deve ser comunicada. Um grande componente desta transformação é a transição para o acesso aberto e a ciência aberta. A Declaração de Budapest de 2001 [7] estabeleceu uma definição para o acesso aberto como a disposição gratuita da literatura na internet pública, permitindo a qualquer utilizador ler, copiar, copiar, distribuir, imprimir, pesquisar, ou estabelecer links para o texto completo de artigos, rastreá-los para indexação, ou usá-los para qualquer outro propósito legal, sem exceção ou barreiras financeiras, legais ou técnicas. 

Cambridge_Scholarly_Communication
University of Cambridge – Scholarly communication

Atualmente, todas as bibliotecas estão envolvidas de alguma forma com a comunicação científica e o acesso aberto, seja prestando serviços de publicação acadêmica; serviços de repositório de acesso aberto; fornecendo orientação sobre direitos de autor e aconselhamento sobre o acesso aberto; e/ou avaliação de recursos de informação.  Há exemplos de atividades de suporte à comunicação científica atualmente realizadas em várias bibliotecas universitárias. Na Biblioteca da Universidade da Califórnia [8], em Santa Bárbara (EUA) diversos serviços direcionados à comunicação científica são oferecidos aos professores e alunos. No Reino Unido, a Universidade de Cambridge [9] mantém um escritório de comunicação científica, que funciona por meio da parceria entre a Biblioteca e o Escritório de Pesquisa da Universidade. 

Competências do Bibliotecário de Comunicação Científica em Acesso Aberto

Os bibliotecários devem ter uma ampla perspectiva e compreensão dos modelos tradicionais e de publicação em acesso aberto, bem como das questões de propriedade intelectual e economia da publicação acadêmica. Outras competências essenciais são:

1. Os serviços de publicação acadêmica
Conhecimento de:
– Plataformas comerciais de publicação e em acesso aberto
– Fluxos de trabalho de publicação e modelos operacionais
– Processos editoriais
– Padrões: Digital Object Identifier (DOI), International Standard Book Number (ISBN), International Standard Serial Number (ISSN), URL persistente, etc.
– Mandatos e requisitos do financiador
– Padrões de metadados e ferramentas de descoberta
Compreensão de:
– Tendências e questões atuais em acesso aberto e comunicação científica
– Práticas de curadoria de dados e preservação
– Questões de licenciamento relacionados com o acesso aberto
Capacidade de:
– Gerenciar software de publicação eletrônica em acesso aberto como o Open Journal System (OJS) e Open Monografia Press (OMP)
– Trabalhar com a tecnologia de informação (TI) para desenvolver a capacidade e infra-estrutura local

2. Serviços de repositório de acesso aberto
Conhecimento de:
– Políticas e exigências de acesso aberto
– Software para repositórios, padrões de metadados e ferramentas de descoberta
– Formatos de dados, projeto de banco de dados, gerenciamento de dados, ferramentas de manipulação de dados
Capacidade de:
– Gerenciar e atualizar o software da plataforma de repositório ao longo do tempo
– Trabalhar com investigadores em depósito dos resultados da investigação no repositório
– Estabelecer contatos com editores sobre questões relacionadas a políticas de arquivamento
Compreensão de:
– Tendências e questões atuais em acesso aberto e comunicação científica
– Questões de direitos autorais e licenciamento relativas ao conteúdo acadêmico
– Práticas de curadoria de dados e preservação

3. Direitos de autor e aconselhamento acesso aberto
Conhecimento de:
– Questões de direitos autorais e licenciamento relativas ao conteúdo acadêmico, incluindo os direitos de autor tradicionais, bem como as licenças Creative Commons e outras licenças de acesso aberto
– Políticas e exigências de acesso aberto
– Tendências e questões atuais em acesso aberto e comunicação científica
Compreensão de:
– Sistema de publicação acadêmica tradicional
Capacidade de:
– Aumentar a conscientização do Acesso Aberto, incluindo questões práticas como financiamento e aderência política
– Fornecer aconselhamento para os alunos de graduação e de pós-graduação sobre alternativas para a transferência de direitos de autor para seus trabalhos acadêmicos originais

4. Avaliação dos recursos acadêmicos
Conhecimento de:
– Critérios de avaliação de periódicos e outros recursos
– Teoria e prática de Bibliometria e Altimetria
Compreensão de:
– Políticas e procedimentos de promoção e estabilidade do corpo docente
– Planejamento e avaliação institucional da produção acadêmica
Capacidade de:
– Dar suporte aos professores na avaliação de revistas e outros recursos acadêmicos
– Aconselhar os serviços e/ou departamentos de aquisição de bibliotecas sobre indicadores de qualidade

Referências

[1] SCHMIDT, B.; SHEARER, K. Librarians’ Competencies Profile for Research Data Management. (Joint Task Force on Librarians’ Competencies in Support of E­Research and Scholarly Communication, June 2016. Disponível em: <https://www.coar-repositories.org/files/Competencies-for-RDM_June-2016.pdf>
Acesso em: Junho 2016.

[2] CALARCO, P.; SHEARER, K. ; SCHMIDT, B. ; TATE, D. Librarians’ Competencies Profile for Scholarly Communication and Open Access. Joint Task Force on Librarians’ Competencies in Support of E­Research and Scholarly Communication, June 2016. Disponível em: <https://www.coar-repositories.org/files/Competencies-for-ScholComm-and-OA_June-2016.pdf>  Acesso em: Junho 2016.

[3] STANFORD UNIVERSITY LIBRARIES. Data Management Services. Stanford, 2016. Disponível em: <https://library.stanford.edu/research/data-management-services> Acesso em: 14 junho 2016. 

[4] MIT LIBRARIES. Data management. Boston, MIT, 2016. Disponível em: <https://libraries.mit.edu/data-management/> Acesso em: 14 junho 2016. 

[5] UNIVERSITY COLLEGE LONDON LIBRARY SERVICE. Planning ahead Research Data Management. London, 2016. Disponível em: https://www.ucl.ac.uk/library/research-support/research-data/best-practices/guides/planning

[6] ASSOCIATION OF RESEARCH LIBRARIES. Scholarly communication. Disponível em: < http://www.arl.org/focus­areas/scholarly­communication> Acesso em: Junho 2016.

[7] BUDAPEST DECLARATION.  In: OPEN SOCIETY INSTITUTE CONFERENCE, Budapest, 2001. Disponível em: http://www.budapestopenaccessinitiative.org/ Acesso em: 14 junho 2016.

[8] UNIVERSITY of CALIFORNIA. Scholarly Communications. Disponível em: <http://www.library.ucsb.edu/scholarly-communication?override_redirect=1> Acesso em: 14 junho 2016. 

[9] UNIVERSITY OF CAMBRIDGE. Scholarly communication. Cambridge, 2016. Disponível em: http://osc.cam.ac.uk/ Acesso em: 14 junho 2016. 

== Task Force == 

https://www.coar-repositories.org/activities/support-and-training/task-force-competencies/

Leia também: Dados de Pesquisa agora devem ser armazenados e citados.

Como citar este post [ABNT/NBR 6023/2002]:

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Competências do Bibliotecário na Gestão de Dados de Pesquisa, Comunicação Científica e Acesso Aberto. 2016. Disponível em: <http://www.sibi.usp.br/?p=5804> Acesso em: DD mês. AAAA.

This article was published on