BioMed Central (BMC) e Universidade de São Paulo (USP): parceria de sucesso desde 2012

Em junho de 2012, a Universidade de São Paulo (USP) tornou-se membro da BioMed Central (BMC), casa publicadora da Springer Nature, uma parceria que já dura seis anos. De 2012 a 2018, foram mais de 1.400 artigos de autores USP publicados nas revistas do Grupo. A iniciativa ainda em 2012 partiu do Sistema Integrado de Bibliotecas da USP (SIBiUSP) que, desde então, vem destinando parte de seus recursos à manutenção desta afiliação que gera descontos para os autores USP. O objetivo desta matéria é apresentar alguns fatos e dados que expliquem porque manter esse apoio é importante.

A BioMed Central é uma editora que reúne 318 revistas científicas em acesso aberto revisadas por pares e indexadas tanto na Web of Science (Clarivate Analytics) quanto na base de dados Scopus. Todas as revistas da BioMed Central são publicadas apenas online. O portfólio de revistas abrange as áreas de Biomedicina, Química, Criminologia e Justiça Criminal, Odontologia, Educação, Engenharia, Meio ambiente, Ciências da vida, Ciência dos Materiais, Matemática, Medicina e Saúde Pública, Farmácia, Filosofia, Física, Psicologia e Ciências Sociais. Confira a lista de revistas editadas pela BioMed Central no website  https://www.biomedcentral.com/journals ou consulte a Lista de Títulos BMC Journals

Autores USP recebem um desconto de 25% na taxa de processamento de artigo (APC) para todos os artigos publicados em qualquer periódico da BioMed Central. Caso esteja submetendo um manuscrito fora do IP institucional, na página “APC Agreement Page”, escolha a opção “I believe that I am covered by an institutional membership arrangement” e, em seguida, selecione a sua instituição. Para mais informações: http://www.biomedcentral.com/about/membership/members/1600009374 

A Figura 1 a seguir apresenta as Top 20 revistas da BMC com maior número de artigos publicados por autores USP no período de 2012 a 2018. Os dados foram recuperados da Plataforma InCites (Clarivate Analytics), no Módulo Journals, Books, Conference Proceedings com dados atualizados em Jul 28, 2018. incluindo o conteúdo indexado na Base Web of Science até May 30, 2018.

Figura 1 – Top 20 revistas da BMC com maior número de artigos publicados por autores USP. Fonte: InCites

A proporção de artigos publicados nas revistas da BMC é sempre alta. Para se ter uma ideia desse sucesso, a Figura 2 abaixo apresenta o Percentual de citação das Top 10 revistas com maior número de artigos de autores USP (2012-2018), de acordo com levantamento realizado na Plataforma InCites pelo Publisher “BioMed Central”, considerando a organization “Universidade de Sao Paulo”. 

Figura 2 – Top 10 revistas com artigos de autores USP e percentual de citação (2012-2018). Fonte: InCites.

A Figura 3 a seguir apresenta uma tabela com os principais indicadores de desempenho relacionados às Top 30 revistas da BMC de acordo com o número de artigos de autores USP publicados no período de 2012 a 2018. 

Figura 3 – Top 30 revistas e indicadores de desempenho por artigos de autores USP (2012-2018). Fonte: InCites Jul. 2018.

Todos os artigos originais de pesquisa publicados pela BioMed Central ficam disponíveis em acesso aberto em meio eletrônico imediatamente após sua publicação. A BioMed Central aplica uma taxa de processamento de artigo (Article Processing Charge – APC), a fim de cobrir o custo do processo de publicação. De 2012 a 2014, a USP, como membro afiliado à BioMed Central, forneceu a seus autores um desconto de 15% na taxa. Desde 2015, a USP oferece a seus autores um desconto de 25% sobre a taxa cobrada, basta o autor identificar-se como afiliado à Universidade ou utilizar um computador autorizado da USP. A Figura 4 apresenta o número de artigos de autores USP submetidos, rejeitados, revisados e publicados em revistas da BMC no período de 2016 a 2018, a partir de levantamento realizado pela própria BMC em julho de 2018.  

Figura 4 – Número de artigos de autores USP em revistas BMC- Springer Open (2016-2018). Fonte: BMC

A Figura 5 apresenta a Evolução de Documentos Publicados em Revistas da BioMed Central que continham autores da USP, de 2008 a 2018. 

Figura 5 – Evolução de artigos publicados em revistas da BMC por autores da USP. Fonte: InCites Jul. 2018.

Autores que publicam com a BioMed Central mantêm os direitos autorais de seu trabalho que são licenciados pelo Creative Commons, que permite que os artigos sejam re-distribuídos sem restrição, desde que a obra original esteja corretamente citada, possibilitando ainda o depósito do artigo no repositório institucional da USP.

Para se ter uma ideia da economia proporcionada pela afiliação da USP à BMC, a seguir alguns cálculos são demonstrados. O montante pago pelo SIBiUSP à BioMed Central (BMC) de 2012 a 2018 totalizou aproximadamente US$ 211 mil ( Em 2018, a taxa anual foi da ordem de US$ 35 mil ). Segundo dados da própria BioMed Central (julho 2018), no período de 2012 a 2018, os autores USP pagaram para publicar 643 artigos, cujas taxas (APCs) somaram US$ 1,270 mil. Após a aplicação dos descontos (2012-2014= 15% e 2015-2018= 25%), o montante efetivamente pago pelos autores USP foi da ordem de US$ 908 mil, gerando uma economia de aproximadamente US$ 362 mil para os autores USP, devido ao desconto na taxa de processamento dos artigos proporcionado pela afiliação da USP à BMC, como demonstra o gráfico a seguir (Figura 6). Houve, portanto, uma economia efetiva de aproximadamente US$ 151 mil para a Universidade.

Figura 6 – Evolução das taxas de APC previstas, efetivamente pagas e economia alcançada (2012-2018). Fonte: BMC.

== Considerações Finais =

O acesso aberto tem sempre um custo que, em alguns casos, pode ser repartido entre pesquisador e instituição. No caso da afiliação da USP à BioMed Central, observa-se que houve um retorno bastante positivo ao longo desses anos, demonstrando que há vantagens para todos. O SIBiUSP segue apoiando o pesquisador em todos os aspectos de suas atividades. Para mais informações procure a Biblioteca da sua Unidade ou envie mensagem ao atendimento@sibi.usp.br 

This article was published on