Conteúdo do site
Submenu: Acesso Aberto @USP

Entenda o que é Acesso Aberto

O Acesso Aberto refere-se à disponibilidade e acesso gratuito por qualquer pessoa aos resultados de pesquisas científicas. Baseia-se na premissa de que o conhecimento científico é um bem público e, portanto, deve estar disponível a todos. É uma alternativa ao modelo tradicional de publicação que restringe o acesso ao conteúdo por meio de assinaturas pagas.

O acesso aberto às publicações científicas é normalmente disponibilizado no site da própria publicação, de acordo com a política do editor, ou por meio de depósito em um repositório institucional ou temático. É um movimento mundial que se realiza a partir de diferentes vias.

Quatro vias para alcançar o Acesso Aberto

VIA VERDE – Green Road Open Access – o artigo é publicado em qualquer revista. O autor retém os direitos autorais e tem permissão para colocar cópias do artigo (às vezes um pre-print ou um post-print) em um repositório ou em seu próprio site. Trata-se do arquivamento do manuscrito no Repositório. Algumas editoras exigem um período de embargo antes que o artigo fique em acesso aberto.

Pre-print – versão não revisada por pares ou não-editada do artigo.
Post-print – versão revisada por pares do artigo, mas não formatado para publicação.

VIA DOURADA – Gold Road Open Access – o artigo é publicado em uma revista de Acesso Aberto, que está disponível gratuitamente na web e o autor paga uma taxa de publicação do artigo. Nesse modelo, é permitido que cópias do artigo também sejam arquivadas em outro lugar. As revistas de acesso aberto não cobram de leitores ou de bibliotecas, mas seu modelo econômico depende do pagamento de taxas pelo autor. Consulte descontos para autores USP.

VIA DIAMANTE – Diamond Road Open Access – o autor publica o artigo em uma revista de Acesso Aberto e esse periódico não cobra taxas de autor. Essas revistas são mantidas por meio de trabalhos voluntários. São tipicamente aquelas revistas dirigidas por associações ou sociedades profissionais e organizações sem fins lucrativos, universidades ou agências governamentais. Seu modelo econômico depende de contribuições e doações de membros. 

VIA HÍBRIDA – Hybrid Road Open Access – parcialmente financiadas por assinaturas, as revistas fornecem apenas acesso aberto para alguns artigos individuais para os quais os autores (ou patrocinador da pesquisa) pagaram uma taxa de publicação.

Licenças de Uso Creative Commons

As Licenças Creative Commons foram criadas para dar maior flexibilidade na utilização de obras protegidas por direitos autorais, de modo que os conteúdos sejam utilizados amplamente, sem que as  leis de proteção à propriedade intelectual sejam infringidas. As licenças indicam os tipos de permissões de uso dos documentos disponíveis na Internet. Saiba mais sobre as Licenças Creative Commons.

Benefícios do Acesso Aberto

  • Aumenta a visibilidade dos resultados de pesquisa, proporcionando acesso a um público mais amplo que, de outra forma, não teria acesso.
  • Maximiza o potencial de colaboração internacional das atividades de pesquisa.
  • Aumenta o potencial de citação, pois expande o acesso a descobertas de pesquisas revisadas por pares.

Impacto Científico do Acesso Aberto

Os artigos científicos publicados de forma aberta recebem, em média, 8% mais citações do que os restritos. Em países em desenvolvimento, como Brasil, Argentina e Rússia, esse percentual chega a 25%.

Declarações em Apoio ao Acesso Aberto

1999 – Convenção de Santa Fé – Apresentou padrões para documentos eletrônicos, softwares e bases dados de acordo com o Open Archives Initiative (OAI) e e-Prints.

2002 – Declaração de Budapeste –  Definiu pela primeira vez o termo Open Access (Acesso Aberto) e estratégias para alcançá-lo, como o auto -arquivamento e o Acesso Aberto a periódicos científicos.

2003 – Declaração de Bethesda – Expandiu o conceito, orientações e recomendações dirigidas às instituições, organizações, pesquisadores, bibliotecários e editores.

2003 – Declaração de Berlim – Reforçou as estratégias já estabelecidas  e enfatiza uso da internet como principal ferramenta.

2014 – Declaração de Haia –  Tratou de temas como Big Data e mineração de dados, uso de licenças livres como Creative Commons, uso do ORCiD e do padrão XML para padronizar documentos que serão lidos por máquinas e pessoas.

2018 – Declaração do México – LATINDEX-REDALYC-CLACSO-IBICT declaram escolha pela licença Creative Commons – CC BY-NC -SA

Projetos e Iniciativas 

Scientific Electronic Library Online (SciELO, 1998)

The Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition (SPARC, 1998) 

PubMed Central (PMC, 2000) 

The Public Library of Science (PLOS, 2000)

BioMed Central (BMC, 2001)

Dialnet (2001)

Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, Espanha e Portugal (Redalyc, 2003)

Directory of Open Access Journals (DOAJ, 2003)

PLOS (2003)

ROAR – Registry of Open Access Repositories (2003)

OpenAIRE (2009)

CORE – COnnecting REpositories (2011)

FOSTER (2017)

Fim do conteúdo, você pode: